um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Alma Cinzenta



Estou cinzenta, hoje!
As estrelas fugiram do meu céu.
E foram adornar os sonhos de não sei quem.
Alguém que quis roubar-me a lua,
E me deixou num breu absoluto.
Estou à toa demais na vida.
Sem nada que me ocupe o dia, as horas.
Nunca pensei que a ociosidade
Fosse tão amiga da loucura!
Estou sem compreender tantas coisas.
Mesmo encontrando, vez ou outra,
O trevo de quatro folhas
Num jardim velho, ou coisa assim.
Estou à procura dos brilhos no olhar.
E na alma, também.
Todavia, confesso:
Isso não anda sendo nada fácil!
Estou à espera sua.
Sentada na cadeira de balanço,
Ao findar do dia.
As saudades doem demais
Para esperar tanto.
Estou com desejo de pôr as pernas para cima
E ouvir aquela música boa.
Música de se embalar os pensamentos
E deixar fluir o bem por dentro.
Hoje o céu está ensaboado.
Assim como eu.
O horizonte está empoeirado.
Tal qual minha carcaça.
Posso sentir-me cansada
E pegar no sono, às seis da tarde.
Para acordar à uma da madrugada
E não dormir mais.
Posso morrer recostada no sofá.
Posso me levantar às três
E querer mandar o despertador na parede.
Oscilo meus tons de cor.
Como medidor pluviométrico.
Ora chuva vem e traz o verde.
Ora o sol forte avermelha o chão
De tanta poeira solta.
O frio entra bravo,
Não querendo conversa.
Seu assovio apenas emite
Sua falta de educação.
Igual a mim.
Em alguns momentos.
Não me considero mal educada.
Julgo-me até besta demais.
E confesso que duvido
Ser isso algo bom.
Duvido muito que seja eu
Ser de coração mole e bom
Ou besta nas mãos dos outros.
Uma dúvida que me corrói
Em noites de solidão depressiva.
Oscilo na depressão e na euforia.
Coisa doida a me desconsertar o juízo!
Não sei ao certo o que é.
Só sei que me confunde.
Há dias em que sou sol, ser irradiante.
Noutros, tudo o que quero
É ficar debaixo das cobertas,
Sem ninguém para perturbar.
Agora o céu já azula no horizonte.
E eu também.
Para sabe Deus quando acinzentar-me, novamente.
Igual “galo do tempo”
Que muda de cor
Ao pequenino ar que lhe toca diferente...

3 comentários:

  1. Minha Linda cada verso que aqui li pude sentir seu sentimento...adoro voce seu jeito te entendo e saiba que não estás sozinha quando está escrevendo ...te amo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho vc em minha alma... Sempre, minha doce amiga de asas enormes... Te amo!!!

      Excluir
  2. Minha Linda cada verso que aqui li pude sentir seu sentimento...adoro voce seu jeito te entendo e saiba que não estás sozinha quando está escrevendo ...te amo!

    ResponderExcluir