um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

sábado, 31 de julho de 2010

SAUDADES...



PEGADAS NA AREIA,
NUM FIM DE TARDE
TRISTE E SOLITÁRIO
DE OUTONO...
UM JEANS RASGADO
E EMPOEIRADO PELO TEMPO;
MARCAS DO TEMPO,
DE UM TEMPO REMOTO DEMAIS...
ALGO INALCANÇÁVEL
SOLIDÃO DILACERANTE
OLHOS AVERMELHADOS,
ESBUGALHADOS, ENRUGADOS.
RUGAS... INFINITAS LEMBRANÇAS
DE UM ONTEM FELIZ
CHEIO DE ORGULHO E SATISFAÇÃO...
DOCES LEMBRANÇAS, APENAS.
O ROSTO PEDE AFAGO
A PELE, CARINHO
O CORPO, UM ACONCHEGO
A ALMA, AH!... A ALMA
TÃO CARREGADA DE AMARGURAS
E DESILUSÕES, TÃO SOMENTE
PEDE ARREGO...
UM OLHAR COMPASSIVO
UM AFAGO, UM AFETO
OU ALGO PEQUENINO
QUE AQUEÇA O CORAÇÃO.
HOJE CAMINHO PELA AREIA;
MINHA CASA TEM TODAS
AS ESTRELAS DO UNIVERSO;
O BRILHO DOS FARÓIS, AO LONGE.
MEU CHÃO, AS MINÚSCULAS
CONCHAS QUE VÊM À ORLA,
SEJA NA MARÉ CHEIA,
SEJA EM DIAS DE CALMARIA.
HOJE CAMINHO, SEM DESTINO
EM BUSCA DE UM PEDAÇO
DE PÃO, DE CHÃO OU
QUALQUER COISA QUE DIMINUA,
UM POUCO QUE SEJA,
ESSA MINHA DOR
ESSE MEU SOFRER,
ABSOLUTO E CONSTANTE.
O SOFRER DE MAIS UM
TRANSEUNTE "JOGADO" EM
MEIO À VIDA...
TALVEZ AMANHÃ EU NÃO
ACORDE, SEI LÁ.
TALVEZ EU VIRE A NOITE
AOS PRANTOS, AO AR LIVRE
CHEIO DE MONSTROS A ME ASSUSTAR...
OU TALVEZ EU ACABE COM
ESSE MEU SOFRER,
COMO TANTOS QUE JÁ
O FIZERAM.
SEJA HOJE, AMANHÃ
OU QUALQUER DIA...
QUEM SABE...

sábado, 17 de julho de 2010

Nascemos...





Nascemos sem saber ao certo o que a vida nos reserva...
Caminhamos com receio de tudo...
E esperamos a morte como se ela fosse a "bruxa" que vem nos buscar em noite de pesadelos...

SOBERANIA





FRIO NA JANELA
MADRUGADA ADENTRO...
O VENTO QUE BATE
NA PELE, É CAPAZ DE CORTAR.
LÁ FORA, POSSO OUVIR SEU GEMIDO
AQUI DENTRO, A SAUDADE IMPERA!
IMPERATRIZ DA SOLIDÃO.
SEU OLHAR, MEIO-OLHAR
CRAVA NO PEITO UMA ESPADA
GÉLIDA E SOMBRIA...
A SOMBRA DA MALDADE.
QUASE PERCO A NOÇÃO,
NÃO POSSO, MAS PERCO
O JUÍZO, A RAZÃO.
SEUS OLHOS, UM ABISMO PROFUNDO
ONDE QUASE SEMPRE
DESABO, MORRO ABAIXO...
SOU FRACO, DEIXO O VENTO
TOMAR CONTA E VÔO ALTO
SEM NEM NOTAR QUE O
CHÃO NÃO SE FAZ PRESENTE...
QUANDO VEJO, PERCO-ME
EM MEIO AOS GALHOS DAS
ÁRVORES, LÁ EMBAIXO.
SAIO DE MIM E FLUTUO,
SEM RUMO OU DESTINO
QUE CERQUE MEU INSTINTO.
SOU ANJO DE ASAS
GRANDES E SOBERANAS...
SOBERANIA SOBRENATURAL...
CARREGO EM MEU ÍNTIMO
A BELEZA DO AMOR
A MAGIA DOS SONHOS
A DOÇURA DE SEU OLHAR
DESPINDO MINH'ALMA,
SEM O MENOR PUDOR
SEM O MENOR RECEIO...
FECHO MEUS OLHOS
E, NAVEGANDO EM SUA ORLA,
SEU CAIS ME CONVIDA A RECOSTAR
SAUDADES... MALDADES
EXPOSTAS, QUANDO DEVERIAM
BRINCAR DE ESCONDE-ESCONDE...
PASSA-SE O TEMPO
E AINDA FAZ FRIO, LÁ FORA.
AQUI... NÃO HÁ O QUE DIZER
SÓ SEI QUE AINDA SINTO
AQUELA ENORME VONTADE
AQUELA INFINITA SAUDADE
DOS DIAS DE INVERNO
DO SEU COLO, ACONCHEGO
E DE QUANDO CARREGAVA NO PEITO
A ÂNSIA DE TORNAR O MUNDO
UM PEDACINHO DO CÉU...

H O N E S T I D A D E



H O N E S T I D A D E

SAIO DE MIM
EM BUSCA DE ALGO
QUE NÃO SEI,
ANDO SEM RUMO
NA BEIRA DO MAR,
SENTINDO APENAS AS ONDAS BATENDO...
AO FUNDO, OUÇO VOZES DESCOMPASSADAS
GRITOS E GARGALHADAS
E O SOL JÁ SE ESCONDE.
PASSA DAS SETE
E, SENTADA NA AREIA ÚMIDA,
POSSO AVISTAR AS PEQUENINAS
EMBARCAÇÕES BEM LONGE DO CAIS.
PENSO NA VIDA QUE VAI
NAS ONDAS QUE VÃO E VEM,
SEM NEM RECLAMAREM
QUANDO SE ARREBENTAM
CONTRA AS PEDRAS...
SÃO LEMBRANÇAS, SUAVES LEMBRANÇAS
DE UM TEMPO REMOTO DEMAIS.
E, CONFORME CAI A TARDE,
E O SOL BEIJA A LUA,
MINH'ALMA FLUTUA, NAS ASPIRAÇÕES
DE UM MUNDO MELHOR
MAIS DIGNO E HONESTO.
HONESTIDADE... TALVEZ SEJA ESSA
A PALAVRA QUE, UM DIA,
SALVE AS ALMAS HUMANAS
DA IGNORÂNCIA...
QUANDO DEIXARMOS DE SER
HONESTOS COM OS OUTROS
E PASSARMOS A TER MAIS
HONESTIDADE PARA COM OS NOSSOS
PRÓPRIOS SENTIMENTOS
TALVEZ CHEGUEMOS A UM PONTO
ONDE HAJA LUZ E SABEDORIA...
JULGAMO-NOS SOBRENATURAIS...
ESPECIALMENTE CONHECEDORES
DOS MECANISMOS INANIMADOS
QUANDO NEM SEQUER
CONSEGUIMOS DECIFRAR NOSSO EU-INTERIOR...
CAVALGAMOS EM BUSCA DA LIBERDADE
ENQUANTO ESTAMOS PRESOS AOS NOSSOS MEDOS...
SOLIDÃO... FIM DE TARDE
ONDAS QUE QUEBRAM
E UMA ALMA REFLETINDO...
TALVEZ SEJA ESSE O MELHOR CAMINHO,
QUEM SABE...
TALVEZ SEJA ASSIM QUE O SER HUMANO
CONSIGA ORGANIZAR SEUS PENSAMENTOS,
SENTIMENTOS E SENSAÇÕES
ENCANTAMENTOS E DESILUSÕES
UM TURBILHÃO DE PALAVRAS
QUE ENTRAM E SAEM
SEM QUALQUER CENSURA
SEJA DE FRENTE PARA O SOL,
OU EM NOITE DE FRIO.
SEJA EM PLENA MULTIDÃO,
OU NAS PROFUNDEZAS DA SOLIDÃO.
SEJA NO PRAZER DE UM ACORDAR,
OU, TALVEZ, NO TRISTE ADEUS DE MAIS
UM TRANSEUNTE...
SEJAMOS, POIS, ASSIM:
MAIS DIGNOS E HONESTOS
COM A MAGIA QUE ENVOLVE
NOSSOS OLHOS, NOSSA PELE
E NOSSA CONSCIÊNCIA!

domingo, 11 de julho de 2010

MAGNITUDE





lua que vai, sol que desponta...
lá embaixo os ruídos aos poucos surgem.
ainda que olhe pelo pequenino vão de luz
que adentra em meu aposento
posso sentir sua pele ainda gélida,
pelo suor de mais uma noite...
mais um sonho que se eternizou, diante do tão
apaixonante satélite terrestre...
fomos dois e nada, ao mesmo tempo.
pedaços... fragmentos de um amor maior...
sussurros, suores
lençóis ao vento, em meio à sacada
na varanda, nada mais que sua nudez...
em meu corpo, seu néctar...
fonte de prazer, de minha saciedade!
horas de um amor que arranca o juízo,
caso ainda tenhamos algum...
beijo tua boca, e ao que entendo,
navego...
deslizo por entre suas curvas, sua pele...
um arrepio surge, e quase posso sentir um turbilhão
se formar, aqui dentro.
meu pêlos se ouriçam
e, arrepiada dos pés à cabeça,
saio de mim, só para satisfazê-lo!
loba, encarno os mais diferentes papéis...
sou virgem, sem qualquer pudor...
heroína ou vilã...
sou o que quisermos, o que vier.
e quando o sol raia, mais um dia,
ainda posso sentir sua pele encostada em meu peito...
adormece como anjo, demônio...
um mago maravilhoso
que sabe tirar de mim tudo o que quiser
para que sua feitiçaria aconteça...
feitiço pronto, encantamento perfeito...
não há erros ou falhas...
só esse delicioso amor...
essa pele... esse perfume estonteante...
e a certeza de que, quando o sol der
passagem à lua, mais uma noite,
cá estará novamente em meus braços,
para mais um magnânimo encontro...
recheado de prazer...
insanidades e magia...
um amor que é só nosso,
seja debaixo da chuva,
ou apenas numa simples troca de olhares...

PELE



PELE

RUA DESERTA,
NEBLINA DA MADRUGADA.
CAMINHO SEM RUMO
SEM EIRA, NEM BEIRA
NO MEIO DAS RUAS,
NO MEIO DOS CARROS.
SINTO O FRIO CORTAR
MINHA PELE, MAS
QUASE NÃO SINTO
NADA, ALÉM DISSO.
HÁ DIAS, DEIXEI TUDO
EM BUSCA DE UM ALGUÉM,
DE UM NINGUÉM ESPECIAL.
UMA DESILUSÃO AMOROSA
CHEIA DE ESPINHOS, SEM ROSAS
PARA GUARDAR NO CORAÇÃO...
ANDO SOLITÁRIO, AO LÉU,
UM NAVIO À DERIVA
SEM FAROL A ACOLHER.
SUA LUZ FOI EMBORA,
DEIXOU MEU PEITO TRISTE.
QUERIA GRITAR, MAS O FRIO
É INTENSO DEMAIS
E SEI QUE JÁ ME FALTAM
FORÇAS PARA ISSO.
AMO TUA PELE, TEU SUOR
TUA SALIVA PENETRANDO
EM MEU EGO MAIS PROFUNDO.
CONTUDO, AMAR TUA CARNE
FOI ALGO IMPOSSÍVEL
FORA DE COGITAÇÃO, EU DIRIA.
DEVIA TER PENSADO
NAQUELES OLHOS PEQUENOS,
MAREJADOS PELA SAUDADE,
UMA SAUDADE DE CORTAR
A ALMA MAIS SUJA
QUE POSSA EXISTIR.
ESTOU AQUI, FUGINDO,
NAS RUAS,
DE ALGO QUE CORTA,
SANGRA, ABRE FERIDA.
TALVEZ VOCÊ SE LEMBRE
DOS MOMENTOS DE INSANIDADE,
DESEJO ABSOLUTO
MARCADO NA PELE
POR AQUELA TATUAGEM.
HOJE SÓ ME RESTA ELA,
E A ANGÚSTIA DE
NÃO TER MAIS NINGUÉM
ALÉM DOS CARROS E
DO FRIO INTENSO
QUE, APESAR DE CORTAR,
ALIVIA UM POUCO ESSA MINHA
CULPA POR EU TER ESCOLHIDO TUA PELE,
AO INVÉS DE MIM...

sábado, 10 de julho de 2010

Boneca de Luxo



Boneca de Luxo

Tarde que acaba
Noite que se inicia
Grandes vestidos, salões cheios
E cá estou a me arrumar...
Já passam das oito
E ainda há muito, nesta noite!
Por cima das anáguas,
O espartilho aperta não só os seios
Mas os sentimentos que tenho!
Sentimentos! Para que tê-los?
Não há necessidade, pois o prazer
O dinheiro e a fama
Já me bastam, até então!
Aos poucos, minha criada
Puxa os cordões, nas costas
E, enquanto me aperta contra o corpo,
Posso sentir que estou linda!
Sim! Linda! E absolutamente desejável!
Olhares furtivos, desejosos
Não só de meus seios
Mas de todo e qualquer centímetro
Da pele alva que possuo...
Jóias, minhas fiéis companheiras!
Sempre belas, tão brilhantes
Cegando as vistas dos convidados...
Sou deusa! Sim, sou!
E a noite é pequena
Perante minha beleza!
Amor... algo rodeado por tostões
Muitas moedas de ouro
E vestidos de seda!
Sempre belos, sempre amantes!
O que esperar de amanhã?
Nada, além de ser sua...
Boneca de luxo, mais uma vez!
A mais bela das bonecas
A cortesã dos céus
A mulher do mundo!
Sempre bela, sempre sua
Sua boneca de luxo, sempre...

DELICIOSAMENTE...



DELICIOSAMENTE...

CAI A TARDE... E QUASE POSSO SENTIR
O VENTO PENETRANDO PELO PEQUENINO VÃO DA JANELA...
PASSA DAS CINCO, E DENTRO DE MEU PEITO,
VEM CHEGANDO A SAUDADE...
TODA NOITE, QUANDO O SOL SE VAI,
E DÁ PASSAGEM À APAIXONANTE LUA,
SINTO MINH'ALMA ENTRISTECER-SE POIS SEUS OLHOS
TAMBÉM SE VÃO...
SUA PROTEÇÃO SE ESVAI...
SUA ALMA ESTÁ SEMPRE AQUI, EU SEI!
MAS, QUASE NÃO POSSO SENTIR SEU ABRAÇO!!!
UMA VONTADE DE GRITAR TOMA CONTA,
E, AOS POUCOS, AS LÁGRIMAS ROLAM...
SINTO SUA FALTA! PROFUNDAMENTE...
QUERIA SEU COLO, SEU CAFUNÉ, EM MEIO AO COBERTOR,
MAS, NÃO SINTO MAIS QUE SOU CAPAZ DISSO TUDO!
VOCÊ SE FOI, PARA SEMPRE...
E AGORA EU FICO AQUI, DELICIOSAMENTE
RODEADA POR SEU ABRAÇO ENERGÉTICO,
SUAS ORAÇÕES POR MEU ESPÍRITO...
SEU DESEJO POR MINHA FELICIDADE...
SEI QUE UM DIA, NOS REENCONTRAREMOS
MAS, QUERIA PODER TE TOCAR COMO JÁ FIZ...
SORRIR COM VOCÊ, ESTAR AO SEU LADO, TALVEZ!
SE VOCÊ ESTIVER ME OUVINDO, OU NÃO,
SAIBA QUE SEMPRE FOI UM ANJO QUE FOI POSTO
PARA QUE EU FOSSE FORTE, FOSSE, E PONTO!
MUITO OBRIGADA POR TUDO...
E ATÉ MAIS, ANJO MEU...



DEDICADO À MINHA GRANDE AMIGA FERNANDA... SAUDADES!!! ANJO...
MINHA AMIGA FALECEU EM 15/08/1999, AOS 14 ANOS... UMA GRANDE PESSOA, QUE ERA CAPAZ DE FAZER SORRIR ATÉ O MAIS DURO DOS CORAÇÕES HUMANOS... UMA SÁBIA PESSOA... SAUDADES ETERNAS...

segunda-feira, 5 de julho de 2010

EU DESEJARIA MORRER...



EU DESEJARIA MORRER...

Eu desejaria morrer
Se não mais pudesse sentir
Suas mãos nas minhas,
Enquanto adormeço.
Eu desejaria fechar meus olhos
Caso não mais ouvisse sua voz
Dando “bom dia, meu amor!”
Aos meus ouvidos,
Enquanto acordo...
Eu perderia a alegria da alma
Caso recostar em seu peito
Fosse algo inatingível, inalcançável...
Eu morreria aos poucos
Caso sua alma me deixasse só,
Um instante que fosse.
Eu perderia as minhas forças
Caso Deus te levasse de mim...
Morreria aos prantos
Por medo, saudade...
E só de cogitar essa hipótese
Meus olhos marejam,
Pois o amor que nos une
É tão imenso que não sofrerá
Ao atravessar as barreiras da vida!
Caso eu vá primeiro, venho te buscar.
Foi promessa. Nós combinamos.
E se você for, busque-me, por favor...
Pois não saberei viver alegremente
Sem o seu sorriso me alegrando.
Sem os seus beijos, suas mãos.
Suas doces palavras... Sua alma!
Uma alma que me encanta
Cada segundo mais,
Ao longo desse nosso caminhar...
Amo você e viver ao seu lado
É a única coisa que
Prende minh’alma aqui...
Sempre!!!

sábado, 3 de julho de 2010

Se lhe perguntarem...






Se lhe perguntarem...

Se algum dia lhe perguntarem
Se a felicidade lhe foi presente,
Diga em alto e bom som:
Ela caminhou ao meu lado por todos os dias!

Se algum dia lhe perguntarem
Se a alegria esteve ao seu lado,
Levante seus olhos e suspire:
Sorri como criança quando ganha um doce!

Se em algum instante questionarem
Suas atitudes como sendo imaturas,
Corra as mãos pelos cabeços e sorria, dizendo:
Para que tanta maturidade, quando a alma é uma criança?

Se algum dia, olharem em seus olhos e lhe perguntarem
Se sente saudade de algo que se foi,
Não se envergonhe e sinceramente diga:
Saudades infinitas de tempos passados...

Se em alguma esquina, de algum canto qualquer da vida,
Alguém lhe tocar os ombros e sussurrar:"você é especial!"
Abra um largo sorriso e agradeça,
Mesmo que, no fundo, não se sinta tão especial assim.

E se além de tudo isso
Sua alma pedir um colo, um consolo,
Não exite, erga suas mãos,
Olhe para o céu e agradeça aos anjos
Pela grandeza que é ver o sol raiar todas as manhãs,
Mesmo quando seus olhos não o enxergam, por trás das nuvens
De uma tarde de outono cinzenta e tristonha...

DESERTO





CAMINHAMOS POR DESERTOS LONGÍNQUOS, QUANDO NEM CONHECEMOS NOSSAS PRÓPRIAS RUGAS E CICATRIZES...

ÚLTIMO...



ÚLTIMO...

BEIJEMOS NOSSOS AMORES COMO NOSSO ÚLTIMO RESPIRAR...
AMEMOS NOSSOS ANIMAIS COMO NOSSO ÚLTIMO ECOAR DE SÍLABAS...
E SEJAMOS HUMILDES, COMO, TALVEZ, NUNCA TENHAMOS SIDO NESTE NOSSO CAMINHAR...