um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

sábado, 29 de maio de 2010

QUANDO...





AMO...


QUANDO, AO ABRIR OS OLHOS, ENCONTRO OS SEUS VELANDO MEU SONO;
QUANDO SINTO SUAS MÃOS TOCAREM MEU ROSTO, NO MEIO DA MADRUGADA;
QUANDO, NO MEIO DA NOITE, SINTO QUE ME COBRE, PARA QUE EU NÃO PASSE FRIO;
QUANDO ESTOU TRISTE, E VOCÊ ME SORRI, BUSCANDO MINHA ALEGRIA;
QUANDO, COM A ALMA CANSADA, BUSCA UM GESTO MEU QUE SIMBOLIZE PERSEVERANÇA;
QUANDO TENHO MEDO DE ESCURO E SEGURA MINHA MÃO, ATÉ EU ADORMECER;
QUANDO, NO MEIO DE UMA BRIGA, OLHA EM MEUS OLHOS E DIZ QUE ME AMA, COM A ALMA;
QUANDO VOLTA DO TRABALHO E ME DÁ AQUELE BEIJO DE TIRAR O FÔLEGO;
QUANDO NOSSO AMOR TRANSBORDA POR ENTRE OS POROS, E PERDEMOS A NOÇÃO DO TEMPO E DO ESPAÇO;
QUANDO ME AJUDA, DEVIDO AO MEU CANSAÇO;
QUANDO ENTENDE OS MEUS MEDOS E DESILUSÕES;
QUANDO FAZ PIRRAÇA, SÓ PORQUE EU DESARRUMEI AS COISAS;
QUANDO OLHA PARA MIM E DIZ QUE SOMOS FELIZES JUNTOS;
AMO CADA DETALHE, DE CADA SEGUNDO QUE JÁ VIVEMOS JUNTOS... UM AMOR RECHEADO POR DELICIOSAS LEMBRANÇAS... CADA PEDACINHO DE UM SENTIMENTO MARAVILHOSO...
AMO TUA ALMA E ISSO JÁ ME É IMPORTANTE PARA QUE MEU DIA SEJA ESPECIAL, ÚNICO E TRANSCEDENTALMENTE BELO...

AMO-TE, SIMPLESMENTE... E PONTO!

b e i j o . . .





BEIJO TEUS LÁBIOS COMO QUEM BEIJA UM ANJO...
BUSCANDO EM TUA SALIVA A ESSÊNCIA PARA MEU VIVER...
BEIJO TEUS LÁBIOS COMO CHOCOLATE...
O SABOR PERMANECE DEPOIS QUE A GENTE MORDE!
BEIJO TEUS LÁBIOS COMO SE FOSSE A PRIMEIRA VEZ,
POIS SEMPRE ACABA FICANDO AQUELE SABOROSO
GOSTINHO DE QUERO MAIS...
BEIJO TEUS LÁBIOS E FLUTUO, NAS SUAVES LEMBRANÇAS DO NOSSO AMOR, SUBLIME AMOR!!!

tua pele...





Tua pele tem a cor das mais raras pérolas... A delícia de um sorvete de casquinha... O cheiro das flores do campo... A suavidade de uma seda... A delicadeza de um neném... e é nela em que me delicio todas as noites, recostada em seu peito ou em êxtase profundo, meu amor!!!

Cortesã dos Deuses





É noite.
Lá fora, os carros de luxo
Fazem questão de estacionar
Nas melhores vagas.
Aqui, entalhadas taças de champagne
Seguem de lá para cá,
Quando não acompanhadas por charutos finos.
Passa das dez,
E, aos poucos, o salão se enche,
Ao som de um jazz de um blues.
Posso ouvir, ao longe, grandes gargalhadas, pessoas felizes,
Gastando o que há de melhor em seus bolsos.
Mas, é cedo ainda.
Gosto de ficar impecável!
As jóias que trago como adorno são presentes...
Presentes de clientes que exigem
O que sei fazer de melhor:
Meus dotes como felina e/ou moça comportada,
Uma quase-virgem.
Posso ser o que o dinheiro comprar.
Faço de minha vida uma extensão do que mais gosto!
Sem dúvida...
Para hoje, um vestido bordô, um corset perolado
Uma saia quase ao mesmo tom e jóias.
Nada mais.
Meus cabelos, longos, voam ao balanço do andar.
Sou bela e desejada!
Isso me faz feliz!
Já são onze e quinze e desço as escadas,
Quando vejo que todos me admiram.
Meus clientes quase me sorteiam a companhia,
E isso é maravilhoso!
Sou cortesã.
A cortesã dos deuses,
Dos barões, condes, duques.
Faço deles o que quiserem,
E de mim, ah!...
Sou fada, feiticeira, bela dama...
A noite promete,
É mera criança.
Uma criança rebelde, perversa, malvada.
Sou cortesã, e as jóias,
Minhas fiéis companheiras,
Conselheiras das horas em que todos se vão,
As vagas ficam vazias
E a consciência atormenta meus sonhos
Meu sono e meus travesseiros,
Quando o sol aponta, por trás das cortinas, na sacada,
Ao som da realidade mundana, humana
E natural da vida, rotineiramente...

quinta-feira, 27 de maio de 2010

debaixo da chuva...



debaixo da chuva...

debaixo da chuva, posso sentir sua alma abraçar a minha...
e posso também correr dos pingos, sem me molhar...
basta querer seu abraço... seu carinho... seu olhar!
um olhar que penetra minhas entranhas e despe-me por completo...
meio sem jeito, fico a admirar seu sorriso... tão angelical
tão atormentador como jamais houvera visto...
chuva na janela, saudade na alma...
algo contrastante, cheio de alegria...
uma angústia, uma maravilha...
rara, doce e terna...
aos poucos a chuva vai, e com ela, a saudade.
até o próximo cair de pingos, por entre as nuvens...
até o próximo olhar...
até morrer de amor em seus braços...

O L H O S



O L H O S

NOSSA ALMA TEM CHEIRO DE AMOR...
COMPAIXÃO E SOLIDARIEDADE...
NOSSOS POROS, ENTRETANTO, CARREGAM O FEDOR DA IGNORÂNCIA E DO EGOÍSMO...
CABE, ENTÃO, AOS NOSSOS OLHOS, ESCOLHER O QUE QUER REFLETIR PARA O MUNDO...

terça-feira, 25 de maio de 2010

SENTIMENTOS E EXPLICAÇÕES...






PERDIDA EM MEIO AOS MEUS PAPÉIS E CANETAS, TÃO SÓ EM MINHA SOLITUDE, PARO PARA PENSAR SOBRE A IMPORTÂNCIA DOS SENTIMENTOS NA EVOLUÇÃO DO HOMEM, ENQUANTO SER PENSANTE...
O QUE DIZER DO FRIO NA BARRIGA, QUANDO SOMOS SURPEENDIDOS POR ALGO GOSTOSO DE SE VER ?... SINCERAMENTE, A MELHOR DAS REAÇÕES. ENQUANTO NOS PREOCUPAMOS EM AGRADAR QUEM NOS RODEIA, ESQUECE-MO-NOS DE BUSCAR TRADUÇÕES AOS SENTIMENTOS QUE NOS CIRCULAM ÀS VEIAS... O DESEJO ESCONDIDO, AS RISADAS MAL DADAS, AS LÁGRIMAS CONTIDAS, UM ABRAÇO NÃO DADO POR RECEIO DE SER E/OU PARECER RIDÍCULO... TUDO ISSO FAZ COM QUE, AOS POUCOS, NOS TORNEMOS MAIS CRUÉIS, FRIOS E DUROS NÃO SÓ PARA COM OS QUE NOS CERCAM, BEM COMO CONOSCO MESMO...
MOMENTOS SÃO FEITOS PARA SEREM DISFRUTADOS NA SUA MAIS PURA ESSÊNCIA, INDIFERENTE SE OS MESMOS IRÃO SER BENÉFICOS AO NOSSO PRÓXIMO... ELES CARREGAM EXPERÊNCIAS QUE NOS ENRIQUECEM COMO HUMANOS, COMO SERES PENSANTES, QUE SOMOS; COMO TRANSEUNTES EM BUSCA DO ETERNO...
FALAR DE ETERNIDADE É ALGO QUE REQUER EXPERIÊNCIA, ALÉM DE DISCERNIMENTO... É NECESSÁRIO POSSUIR UMA ALMA VELHA PARA QUE POSSAMOS DAR PITACO NA VIDA ALHEIA, SEM QUE SEJAMOS INDISCRETOS E/OU INVASORES...
DETERMINAMOS A IDADE DE UMA ALMA NÃO POR QUANTO ELA É INTELIGENTE, MAS PELA QUANTIDADE DE EXPERIÊNCIA QUE ELA POSSUI A NOS ENSINAR... SEMPRE AUXILIADORA, DONA DE UMA MAGNITUDE QUE POUCOS POSSUEM... E QUE SÓ AS EXPERIÊNCIAS FORA DO CORPO SÃO CAPAZES DE ENRIQUECÊ-LA, ENQUANTO VAGUEIA RUMO AO ETÉREO...
EXPERIÊNCIAS FORA DO CORPO... MOMENTOS ONDE A ALMA BUSCA O QUE TEM MEDO DE FAZER EM CARNE... SONHOS, ENCONTROS, E DESENCONTROS...VISITAS A QUEM NOS FAZ E/OU FEZ BEM, DENTRE TANTAS OUTRAS OCASIÕES... SÃO ATITUDES INENARRÁVEIS... E MAGNANIMANTE INCOMPARÁVEIS...
AH!... SE TODOS PUDESSEM OUVIR A VOZ QUE VEM DA ALMA... O MUNDO SERIA MAIS HABITÁVEL, MENOS SÔFREGO E MAIS COMPREENSÍVEL...
SENTIMENTOS E EXPLICAÇÕES... SEMPRE PASSÍVEIS A DESCOBRI-LOS ANTES QUE OS OLHOS PERMANCEÇAM CERRADOS, A PELE, GÉLIDA E SOMBRIA, SE DESFALEÇA EM POEIRA E FEDOR DA CARNE... EM ENERGIA E COSMOS, EM BUSCA DE ALGO QUE O ESPÍRITO NEM IMAGINA POSSIUR DENTRO DE SI... SEMPRE HÁ TEMPO...

Prometi...





Prometi a você que jamais te magoaria...
E podes gritar ao mundo que isso é verdade.
Prometi a você que te amaria com todas as minhas forças...
E assim faço como fonte de sobrevivência.
Prometi a mim que o amor que carrego no peito seria sempre minha fonte...
E posso ecoar que é por este amor que hoje sei o caminhar correto,
A beleza de enxergar além dos olhos, dos dedos...
A amplitude de uma alma, em sua singeleza humana,
Em sua magnitude sobrenatural...
Prometi a Deus que te faria feliz...
E tenho certeza que , enquanto viver, essa promessa será cumprida...
Pois amo você com todas as forças, todas as cores e sabores
Cheiros e sensações que só quem busca no outro
Sabe explicitar tão corretamente...
Um amor suave, multicolorido, e infinitamente belo...
Amo-te muito, e você sabe disso!!!

Prazeres...



Prazeres...

Amo porque sinto a canção dos anjos invadir meus ouvidos...
Caminho por entre pedras, e quase posso senti-las penetrar meus pés...
Sorrio, mesmo quando a alma, em prantos, pede colo...
Escrevo, única e simplesmente por sentir as letras em minhas veias, regando meus poros... minh'alma, alegrando a vida...

CORES




BUSCO EM SUA PELE,
O ACONCHEGO PARA MEU SUOR.
EM SEUS LÁBIOS,
A SALIVA NECESSÁRIA
PARA QUE EU SOBREVIVA...
EM SEU CORPO,
O CALOR EM MEUS DIAS FRIOS...
EM SUA ALMA...
AH! SIMPLESMENTE AMOR!...
A BELEZA DO ACONCHEGO
A MAGIA DO CALOR
A LEVEZA DO SUOR
A DELÍCIA DO AMANHÃ...
BUSCO TUDO O QUE PRECISO
E, NESSE MAJESTOSO BUSCAR,
ENCONTRO UM ALGUÉM DE
BRAÇOS ABERTOS... CABEÇA ERGUIDA
E ALMA FLUTUANTE...
CARREGO COMIGO SEU BEIJO
DOCE INSPIRAÇÃO PARA OS DIAS SEM SOL...
MACIEZ DE UMA SEDA;
SABOR DE CHOCOLATE
DERRETIDO NO CALOR DOS LÁBIOS...
PAIXÃO AVASSALADORA
AMOR DE JUVENTUDE
PRAZER DA MELHOR IDADE...
TUDO JUNTO NA MESMA ALMA,
SEM RECEIO DE UM TOMBO, QUE SEJA!
LOUCURA SÃ,
SANIDADE ÀS AVESSAS...
O MAIOR DOS PARADOXOS
JÁ DITOS POR NERUDA,
DRUMMOND OU QUINTANA...
A DELÍCIA DO COLO,
QUANDO A ALMA PERDE O CHÃO.
DO CONSOLO,
QUANDO, ALÉM DO CHÃO,
A CABEÇA PERDE O RUMO...
DO CARINHO,
EM NOITES DE CHUVA FINA.
DO ÊXTASE,
QUANDO A PELE ARDE EM CHAMAS!
AMOR BONITO... PAIXÃO PROFUNDA...
FEROCIDADE E DELICADEZA
FUNDINDO-SE, ENQUANTO OS CORPOS
BAILAM GOSTOSO NA MAGIA DO AMOR...
FEITIÇO... BRUXARIA
GOSTOSURA... GRANDEZA!
BUSCO UM AMOR
E ENCONTRO ALGO ALÉM,
AQUÉM DE QUALQUER OBSTÁCULO...
ENTREGUE AO MEU BEL-PRAZER!
O PRAZER DOS ANJOS...
BUSCO UM AMOR
E DEPARO-ME COM ELE
COMO ESPELHO, SEM RASURAS,
RECHEADO POR PEQUENINAS RECORDAÇÕES
QUE ALEGRAM O DIA
ALIMENTAM A ALMA
E DÃO VIDA ÀS CORES HUMANAS!...

segunda-feira, 24 de maio de 2010

ANDARILHO DAS ALMAS






Andarilho das Almas...
Caminha no meio do mundo
Em busca de abrigo.
Tão só em seus pensamentos,
Tão perto do Criador!
Quem será essa pobre criatura,
Capaz de decifrar as incógnitas humanas
Sem nem ao menos machucar as mãos?
Andarilho das almas,
Andarilho de nós mesmos,
A rodear as veias, entranhas,
A cantarolar em vez de olhar contra a poça d'água
Que lhe faz companheira, quando o sol
Já se faz esquecido, escondido,
Horizonte afora...
Andarilhos que somos, que seremos
Seja no momento oportuno,
Seja neste exato instante,
Seja acompanhado do cãozinho solitário da rua
Seja em limusines luxuosas...
Somos todos andarilhos,
Em busca de algo que,
Nem sequer sabemos onde e como encontrar...
Andarilhos, sempre à espera da migalha alheia
Que nos faça um pouco melhor, menos hipócrita...
Andarilhos dos outros, de nós, de quem quer que seja!!!
Andarilhos...

SOMOS. . .




SOMOS. . .


SOMOS O QUE BUSCAMOS NO PRÓXIMO, SEM NOS ESQUECERMOS QUE, NA REALIDADE, O PRÓXIMO É NOSSO MAIOR ESPELHO...

GUEIXA





CIDADE... LUA...
O INFINITO CANAL
RESPLANDECENDO EM MEIO
À PENUMBRA DE MEU CORAÇÃO.
OLHO AO LONGE,
PELA VARANDA, DA SACADA
E, AO FUNDO, POSSO OUVIR
UM VIOLINO TRISTE ENTOANDO
CANÇÕES DE AMARGAR OS OLHOS...
JÁ PASSA DAS DUAS DA MANHÃ
E, ENVOLTA EM MEU LENÇOL DE SEDA,
AINDA SINTO O TEU PERFUME.
VOCÊ JÁ SE FOI, HÁ HORAS...
SACIOU SEU DESEJO, INFINITO DESEJO
E FOI RUMO ÀQUELA
QUE TE CONSIDERAS FIEL.
FIDELIDADE... ALGO QUE, ÀS VEZES,
SINTO-TE DEVOTAR-ME
ENQUANTO ENLAÇA-ME COM TEU SUOR,
CHEIRO E SALIVA...
AMO-TE TANTO, ANJO CAÍDO
ANJO BOÊMIO.
MAS, QUASE SEMPRE, PERGUNTO-ME:
POR QUE NÃO PREFERES DE VEZ A MIM
E DEIXAS TUA ESPOSA SEGUIR SEU CAMINHO?
SOU GUEIXA... SUA GUEIXA DE LUXO...
AMANTE RODEADA POR SEUS CAPRICHOS.
LEVA-ME À LOUCURA
SAIO DE MIM,
E TRANSFORMO-ME EM FELINA
GATA NO CIO
PRONTA PARA TUDO
O QUE QUISERES DE MIM.
AMO-TE TANTO
MAS, CÁ ESTOU, AGORA
DEBRUÇADA NO BEIRAL DA
SACADA, ESPERANDO O DIA CLAREAR
ESPERANDO MAIS UM DIA, TALVEZ...
MAIS UM BEIJO, UM CARINHO
UM "TE AMO!", TALVEZ...
ENVOLVO-ME NO LENÇOL
SINTO A BRISA DA MADRUGADA
OUÇO O VIOLINO TRISTONHO
E ESPERO... ESPERO VOCÊ,
ANJO BOÊMIO...
SUA VOLTA, MINHA ALEGRIA;
SUA SATISFAÇÃO, MINHA SACIEDADE;
SEU SUOR, MEUS LÁBIOS MOLHADOS;
SEU CORPO, MINH'ALMA;
SUA ALMA, TALVEZ...
O PRAZER DOS HOMENS
O AMOR DAS GUEIXAS
O CAIR DOS LENÇÓIS
EM MEIO ÀS ROUPAS
O DESEJO MAIS PROFUNDO
A INCERTEZA DE MAIS UM AMANHÃ,
SE VOCÊ AINDA ME QUISER COMO SUA...

sábado, 22 de maio de 2010

Saudades, apenas...






Saudades, apenas...



Quando fechares os olhos,
Em busca do sono perdido
E ergueres os pés
Na cabeceira da cama,
Voltas no tempo
E encontrarás meu sorriso
Dando-te boas-vindas...
Saudades infindas
De um amor que se foi
Momentos inenarráveis
Paixão proibida,
O doce desejo
De um beijo roubado
Em meio à multidão...
Olhares, pequenos olhares
Quase que enigmáticos.
Fomos felizes, eu sei
E as saudades ainda
Atormentam seus pensamentos...
Por mais que queiras
Esquecer das loucuras
Doces criaturas guardadas
Na memória, contidas
Não conseguirás abandonar
Esta tormenta chamada paixão.
O cheiro suave da pele
O sabor dos lábios
A maciez dos cabelos
A entrega dos corpos
A fusão do desejo,
Pequenos detalhes
Pequeninas lembranças
Que, como a infância,
Não voltam jamais...
Você se foi
E posso sentir no peito
A saudade e o respeito
Que este amor me causou...
Praia deserta
Pegadas na areia
Um castelo em ruínas
Saudades...
Caminho na orla
Em busca de suas lembranças...
Nas mãos, um relicário de família
Na alma, o desejo insaciável
De mais um amanhã...
O sol já se vai,
Dando passagem à imensa lua
Brilhante em meio às estrelas...
Sentada na areia
Ainda sinto no peito o descompasso
Daquela noite maravilhosa...
Coração apertado, cabeça flutuante
Pele e pêlos ouriçaddos
Como que querendo mais!
Aos poucos, seus lábios e os meus
Sua pele e a minha
Tornavam-se, única e exclusivamente,
A fusão do mais belo desejo...
Sua boca percorria meu corpo
Como cão farejando sua caça...
Meu suor, escorrendo pelo corpo
Encontrava em teu êxtase
A magnitude de um anjo
Angelicalidade sem fim
Saudades...
O relicário já não mais
Simboliza o que vivemos,
Hoje é doce lembrança
De algo que não faz mais
Sentido viver!
Carrega dentro de si
A pureza de um amor de juventude
Você se foi... os anos passaram
Já não carrego mais a
Mesma feição jovem e doce
Meus cabelos já estão brancos
Minha pele já está flácida
Aos poucos, as manchas apareceram
E as dores já são as companheiras
Inseparáveis do dia-a-dia...
Hoje, em meio às ondas que arrebentam nas pedras
Enterro suas doces lembranças
Em busca de meu eu
De minha essência
De uma solidão que é só minha
De um amor que é só meu
De uma velhice que toma em seus braços...
Caminho, sem rumo,
Pois o rumo das coisas já não fazem sentido...
Fazem parte de um passado remoto demais...
Entregue às ondas, levado pela espuma dos oceanos...
E soterrado pelas areias de um coração que
Já não vive mais a mesma juventude de
Anos atrás... anos que não voltam mais...
Quando fechares os olhos
E encontrar-me em teus sonhos
Apenas saudades, apenas...

ANDARILHO...




ANDARILHO...

SAIO DE CASA,
ANDO PELAS RUAS
E, EM MEIO À PENUMBRA,
QUASE POSSO SENTIR SEU SORRISO.
NÃO TE VEJO, EU SEI.
VOCÊ SE FOI, FAZ TEMPO
MAS, SUA ENERGIA ME
É PERCEPTÍVEL!
PASSA DAS DUAS
E PERDIDO POR ENTRE MEUS MEDOS
OUÇO SUA VOZ CHAMAR MEU NOME...
TENTO ENTENDER DE ONDE VEM
PORÉM, É TARDE DEMAIS...
MINH'ALMA ESTÁ CANSADA
PERAMBULANDO PELA VIDA
HÁ MUITO NÃO SEI MAIS
O SABOR DE UMA DOCE LEMBRANÇA...
AMARGURAS, SOLIDÃO,
SÃO ESSES OS SABORES
QUE RONDAM MEU PALADAR
ESTOU SÓ, MESMO TENDO
AS ESTRELAS COMO TETO
E O SOL COMO LAMPIÃO...
HOJE FAZ SETE ANOS...
BONS TEMPOS QUE NÃO VOLTAM MAIS
PERDI SUA PELE, SEU CORPO...
SEU SORRISO JÁ NÃO ME CONVIDA
A UM DRINK OU JANTAR...
PERDI A ÚLTIMA CHANCE
QUE TINHA DE CONQUISTAR-TE...
ENTREGUEI-ME A ESTE MUNDO
ONDE A ILUSÃO TOMA CONTA
E HOJE SOU ESCRAVO
ESCRAVIDÃO QUE DILACERA
UMA ESCOLHA ERRADA
UMA CONSEQÜÊNCIA E TANTO!
MEUS POROS EXALAM O ODOR
DE MAIS UM DRINK
MAIS UM DOS MUITOS
QUE JÁ ADENTRAREM MEU ESTÔMAGO
TENTO FUGIR, MAS É MAIS FORTE
PERCO A NOÇÃO E QUANDO VEJO
JÁ ESTOU ZONZO,
PERDIDO EM MINHAS RECORDAÇÕES
AS LEMBRANÇAS DOEM
A SAUDADE FERE
E HOJE VIVO A INCERTEZA
DE QUE, TALVEZ, SEJA A
ÚLTIMA VEZ... O ÚLTIMO GOLE
PRECISO DE AJUDA, MAS
CREIO QUE NÃO HAJA AUXÍLIO
QUANDO A ALMA NÃO ACEITA.
SOU FELIZ, TALVEZ.
TALVEZ EU ENCONTRE O
CAMINHO DE VOLTA, AMANHÃ
PORQUE HOJE JÁ É TARDE
E MEU CORAÇÃO NECESSITA APENAS
DE MAIS UM POUCO DESTE
QUE, SEM DÚVIDA, SE TORNOU
O MELHOR AMIGO DESTE POBRE
ANDARILHO QUE CAMINHA PELO MUNDO...
AMANHÃ...
SÓ AMANHÃ, TALVEZ...



ESTE POEMA É INSPIRADO EM TODAS AS PESSOAS QUE ACABAM PERDENDO SEUS AMORES, POR CAUSA DE ALGUM VÍCIO... EM ESPECIAL O ÁLCOOL...
QUE A PAZ ESTEJA COM TODOS, PARA QUE CONSIGAM SAIR DESSA VIDA, E RETOMAR A ROTINA DE ANTES...
PERDIDA EM MEIO AOS MEUS PAPÉIS E CANETAS, TÃO SÓ EM MINHA SOLITUDE, PARO PARA PENSAR SOBRE A IMPORTÂNCIA DOS SENTIMENTOS NA EVOLUÇÃO DO HOMEM, ENQUANTO SER PENSANTE...
O QUE DIZER DO FRIO NA BARRIGA, QUANDO SOMOS SURPEENDIDOS POR ALGO GOSTOSO DE SE VER ?... SINCERAMENTE, A MELHOR DAS REAÇÕES. ENQUANTO NOS PREOCUPAMOS EM AGRADAR QUEM NOS RODEIA, ESQUECE-MO-NOS DE BUSCAR TRADUÇÕES AOS SENTIMENTOS QUE NOS CIRCULAM ÀS VEIAS... O DESEJO ESCONDIDO, AS RISADAS MAL DADAS, AS LÁGRIMAS CONTIDAS, UM ABRAÇO NÃO DADO POR RECEIO DE SER E/OU PARECER RIDÍCULO... TUDO ISSO FAZ COM QUE, AOS POUCOS, NOS TORNEMOS MAIS CRUÉIS, FRIOS E DUROS NÃO SÓ PARA COM OS QUE NOS CERCAM, BEM COMO CONOSCO MESMO...
MOMENTOS SÃO FEITOS PARA SEREM DISFRUTADOS NA SUA MAIS PURA ESSÊNCIA, INDIFERENTE SE OS MESMOS IRÃO SER BENÉFICOS AO NOSSO PRÓXIMO... ELES CARREGAM EXPERÊNCIAS QUE NOS ENRIQUECEM COMO HUMANOS, COMO SERES PENSANTES, QUE SOMOS; COMO TRANSEUNTES EM BUSCA DO ETERNO...
FALAR DE ETERNIDADE É ALGO QUE REQUER EXPERIÊNCIA, ALÉM DE DISCERNIMENTO... É NECESSÁRIO POSSUIR UMA ALMA VELHA PARA QUE POSSAMOS DAR PITACO NA VIDA ALHEIA, SEM QUE SEJAMOS INDISCRETOS E/OU INVASORES...
DETERMINAMOS A IDADE DE UMA ALMA NÃO POR QUANTO ELA É INTELIGENTE, MAS PELA QUANTIDADE DE EXPERIÊNCIA QUE ELA POSSUI A NOS ENSINAR... SEMPRE AUXILIADORA, DONA DE UMA MAGNITUDE QUE POUCOS POSSUEM... E QUE SÓ AS EXPERIÊNCIAS FORA DO CORPO SÃO CAPAZES DE ENRIQUECÊ-LA, ENQUANTO VAGUEIA RUMO AO ETÉREO...
EXPERIÊNCIAS FORA DO CORPO... MOMENTOS ONDE A ALMA BUSCA O QUE TEM MEDO DE FAZER EM CARNE... SONHOS, ENCONTROS, E DESENCONTROS...VISITAS A QUEM NOS FAZ E/OU FEZ BEM, DENTRE TANTAS OUTRAS OCASIÕES... SÃO ATITUDES INENARRÁVEIS... E MAGNANIMANTE INCOMPARÁVEIS...
AH!... SE TODOS PUDESSEM OUVIR A VOZ QUE VEM DA ALMA... O MUNDO SERIA MAIS HABITÁVEL, MENOS SÔFREGO E MAIS COMPREENSÍVEL...
SENTIMENTOS E EXPLICAÇÕES... SEMPRE PASSÍVEIS A DESCOBRI-LOS ANTES QUE OS OLHOS PERMANCEÇAM CERRADOS, A PELE, GÉLIDA E SOMBRIA, SE DESFALEÇA EM POEIRA E FEDOR DA CARNE... EM ENERGIA E COSMOS, EM BUSCA DE ALGO QUE O ESPÍRITO NEM IMAGINA POSSUIR DENTRO DE SI...
SEMPRE HÁ TEMPO...
texto meu publicado no RECANTO DAS LETRAS

Hoje minh'alma...





Hoje minh’alma acordou rabugenta...
Querendo um travesseiro gigante para adormecer à vontade.
Hoje minh’alma acordou sonolenta...
Com preguiça de encarar minha dura realidade.
Hoje meus olhos, um tanto fechados, buscaram sonhar, mesmo acordada...
Sonhos que se criam, em meio aos neurônios,
Devaneios que rodeiam o semblante...
Hoje minh’alma acordou querendo colo, um cafuné...
Saudades dos bolinhos de pingar que só a vovó sabia fazer;
Receita de fim de tarde, pra se deliciar com ou sem açúcar cristal...
Hoje minh’alma sentiu saudades...
Saudades de algo sem motivo, explicação...
Talvez do beijo da mãe, quando ia dormir,
Do afago da tia, quando vinha visitar...
De fofocar com a melhor amiga, que seguiu seu caminho, sua estrada...
De sentir na alma aquele frio na barriga, aquele soco na boca do estômago...
Talvez, a vida pare por pequeninos segundos,
Para que reflitamos sobre o que fizemos, até então.
Então, nossa alma fica assim, rabugenta, reclamona...
Querendo tentar entender o que não tem entendimento,
Decifrar as incógnitas que nos são postas (ou impostas) sem nem percebermos...
Coisas de uma vida sem sentido,
Pois o sentido perderia a graça,
Coisas de uma alma que vagueia,
E nem se preocupa com o que vai dentro dela...
Alma flutuante, cabeça nas nuvens...
Nuvens que são cinzentas, cor-de-rosa, alaranjadas, multifacetadas...
Um misto de todas as cores que emanam da aura
E envolve quem nos cerca, dia após dia.
Auras coloridas, despercebidas, despretensiosas...
Hoje minh’alma acordou buscando o sorriso daquela criança que me beija todo dia,
O sorriso mais delicado e gostoso de ver, manhã afora...
Quando os olhos se abrem, e dá um simples “bom dia!” a quem quer nos olhe lá de cima.
Olhares através das nuvens, dos pingos de chuva, dos acinzentados rabiscados,
Rascunhados por uma beleza divina, por dedos tão perfeitos
Que nem mesmo o mais sábio dos homens soube compreender e explicitar
Algo inatingível, inalcançável e demasiadamente belo...
A saudade dos homens, a pureza dos anjos...
A magia das almas que nos acompanham enquanto adormecemos, pela madrugada
Ou simplesmente o desejo de que, mesmo rabugenta e reclamona,
A alma tenha o privilégio de abrir-se mais uma vez, quando o sol raiar
Ou até mesmo quando as estrelas ainda estiverem no céu, caso haja insônia,
Caso o dia seja pequenino demais para tantos fervilhões de novidades,
Ditos ao pé do ouvido, ao amor da vida,
Ao melhor amigo, que está longe (mas perto),
Ou ainda ao anjo que vela os pensamentos,
Para que nunca caiamos em contradições, nem armadilhas...
Para que saibamos discernir entre o belo e o encoberto,
Entre o bem e o mal,
Entre a realidade que nos cerca e o devaneio que nos rodeia...
Hoje minh’alma acordou com vontade de escrever
E talvez seja por isso que ela seja tão bem quista,
Por carregar em sua essência a delicadeza de transformar em palavras
Cada pedacinho de gene que recobre essa vida...
Um transformar tão natural (e especial)
Que até devaneando, madrugada adentro, é capaz de ser feito,
Pois os sonhos também fazem parte, quando não é a chave
Para que saibamos o caminho correto, rumo a uma felicidade
Que talvez só lá no fim a vejamos,
Depois de um longo caminhar cheio de histórias e conselhos
Morais e também arrependimentos
Coisas de uma vida sem sentido,
Pois o sentido perderia a graça,
Caso a alma fosse cruel, e capaz de esquecer
Tudo o que de fato houvesse sentido
Quando os olhos se fechassem, para o dia que se foi...
Hoje minh’alma acordou assim...
E é assim que quer permanecer, enquanto puder
Enquanto tiver permissão de ficar, volitar
E escolher o que de melhor possuir em seu favor...
Uma alma leve, sutil, mas carregada de pequeninos confeitos e confetesPara alegrar a si e a quem quer que queira comigo caminhar... sempre!