um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

sábado, 29 de maio de 2010

Cortesã dos Deuses





É noite.
Lá fora, os carros de luxo
Fazem questão de estacionar
Nas melhores vagas.
Aqui, entalhadas taças de champagne
Seguem de lá para cá,
Quando não acompanhadas por charutos finos.
Passa das dez,
E, aos poucos, o salão se enche,
Ao som de um jazz de um blues.
Posso ouvir, ao longe, grandes gargalhadas, pessoas felizes,
Gastando o que há de melhor em seus bolsos.
Mas, é cedo ainda.
Gosto de ficar impecável!
As jóias que trago como adorno são presentes...
Presentes de clientes que exigem
O que sei fazer de melhor:
Meus dotes como felina e/ou moça comportada,
Uma quase-virgem.
Posso ser o que o dinheiro comprar.
Faço de minha vida uma extensão do que mais gosto!
Sem dúvida...
Para hoje, um vestido bordô, um corset perolado
Uma saia quase ao mesmo tom e jóias.
Nada mais.
Meus cabelos, longos, voam ao balanço do andar.
Sou bela e desejada!
Isso me faz feliz!
Já são onze e quinze e desço as escadas,
Quando vejo que todos me admiram.
Meus clientes quase me sorteiam a companhia,
E isso é maravilhoso!
Sou cortesã.
A cortesã dos deuses,
Dos barões, condes, duques.
Faço deles o que quiserem,
E de mim, ah!...
Sou fada, feiticeira, bela dama...
A noite promete,
É mera criança.
Uma criança rebelde, perversa, malvada.
Sou cortesã, e as jóias,
Minhas fiéis companheiras,
Conselheiras das horas em que todos se vão,
As vagas ficam vazias
E a consciência atormenta meus sonhos
Meu sono e meus travesseiros,
Quando o sol aponta, por trás das cortinas, na sacada,
Ao som da realidade mundana, humana
E natural da vida, rotineiramente...

Nenhum comentário:

Postar um comentário