um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

domingo, 3 de maio de 2015

Extravagância



Faça eu me prender a você!
Tente a sorte!
Quem sabe você não consiga essa proeza!
Sou das facetas, muitas.
Das vestimentas, todas.
E dos poucos quereres afins.
Sou dona dos meus pensares.
E calculo milimetricamente cada sedução.
Sadomasoquista, recatada ou meio morna.
Para dias frios ou em ebulição.
Sou água quentinha a aquecer o ego.
Vulcão a fervilhar a pele, ouriçada.
Na calçada, no meio da rua, debaixo do cobertor.
Posso reverenciar-me aos seus olhos.
Ou não.
Sei a que vim meu bem!
Dona da razão, da emoção e da espiritualidade.
Faço do meu feminino elo sagrado com minha masculinidade.
Posso ser menina manhosa.
E deixar-lhe cavalgar em meus quadris.
Ou quase menino.
E sugar-lhe as entranhas mais afeminadas.
Quero dançar para você!
Envolta em um quimono de seda florido,
Como fazem as gueixas.
Para depois  afogar-me na banheira,
Purificando-me de mais um pecado.
Sou pecadora!
Não há dúvida, nem salvação.
O que há é o perfume na camisa branca entreaberta,
Onde os seios quase se mostram a quem quiser vê-los.
Num “mostra-e-esconde” todo cheio de segundas intenções.
Ao som de um saxofone...
Com chuva na janela, tempestade cobrindo o céu em breu.
Gosto da escuridão.
O mistério contém-se entre as estrelas.
E nem sempre ser sombrio é sinal de maldade.
A bondade disfarça-se entre as muitas facetas da escuridão.
E somos todos anjos e demônios embrulhados para presente!
Hoje sou seu melhor presente...
A única a lhe suportar.
Mas, aviso que não sou de tolerar maus dias.
Prefiro aturar os meus picos de humor, tão somente.
Não sou tão paciente, quanto boa entre quatro paredes!
E por hora, a segunda opção é bem mais convidativa.
Aceita um convite indecente?
Posso satisfazer seu ego, melhorar seu humor...
Posso “quebrar o gelo” dos meus dias de loucura.
Posso dedicar-lhe algumas horas, uma noite.
Dedilhar seu sexo.
Descobri-lo!
Tatear, sugando.
Sugar, tateando!
Posso devorar cada centímetro.
E a tempestade convida a uma extravagância mais ousada.
Hoje eu quero ousar!!!