um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

sábado, 8 de junho de 2013

Noite Toda


Posso ficar a noite toda à sua espera.
E talvez você não apareça.
Talvez siga seu caminho,
E saia para se divertir.
Talvez também esteja pensando nisso tudo.
Nessa ansiedade louca, ansiedade besta,
Que teima em não ir embora.
Não sei.
Queria poder saber.
Queria ser um pedaço dos seus pensamentos,
Nem que fosse por alguns centímetros.
Queria saber que lhe provoco,
Assim como me angustia.
Queria sentir tão mais perto
E esse perto anda longe demais de minhas mãos.
Mãos que suam inquietas,
Procurando mensagens antigas
E esperando pelas novas.
Mas, elas não vêm.
Elas são como você, cruéis.
Perturbam minha paz,
E tiram-me o pouco juízo que me resta.
Todavia, não há calma, paciência,
Que sobreviva a uma noite longa.
A uma nova expectativa.
A mais uns pensamentos desconexos.
Será que te perturbo?
Serei eu mesma aquela
Que lhe faz perder as horas, debaixo do chuveiro,
Tentando não enlouquecer?
Adoraria saber.
E muito!

5 comentários:

  1. Eu adoraria saber, essa espera, essa incerteza é angustiante, quando será que tudo vai se resolver??
    Obg pelo texto tata, muito eeu!!
    tee amooo! - Stefanie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espere o vento lhe dizer... Ele costuma soprar palavras doces, no meio da noite... Ele costuma nos fazer perder as horas, só imaginando... Ele lhe dirá... Garanto!

      Excluir
  2. .......esse silêncio que mata,esse ponto de interrogação que toma conta de todos nós,uma solidão que faz mal e ai eu pergunto.....até quando??
    Obrigado Heloisa por seus textos tão verdadeiros e ao mesmo tempo tão profundos que chega a machucar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, eu, por mais um comentário... Respondendo, ou melhor, tentando responder a sua pergunta, leitor anônimo... O silêncio por vezes chega a machucar sim... É sinal que somos sentimento, e não somente razão o tempo todo... Que por mais que tentemos driblar, não saímos ilesos aos nossos questionamentos, às nossas intenções e quereres. Podemos driblar, vez ou outra. Mas, chega um momento em que, ensandecidos, sairemos à procura de respostas... Fico feliz por seu comentário... Embora não tenha sido intuito meu, como escritora, ferir com minha profundidade textual... Nem sentimental, que ponho em meus textos... Mas, obrigada! Será sempre bem vindo...

      Excluir