um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

sábado, 15 de junho de 2013

Dom



Dizem ser dom meu
O escrever das palavras.
Mas, não.
É apenas uma extensão de mim.
É apenas um revelar de alma
Que, dia a dia, se oculta quase que totalmente.
É um pouquinho a mais de sonhos.
É buscar os motivos que valham a pena.
Não sei se o dom prevalece.
Só sei que elas, as palavras, casam-se.
À medida que voam da caneta.
Acomodam-se no papel branquinho
Para flutuar em meio aos sonhos.
Flutuam como mágica, ilusionam como mestres.
Sou poesia!
Pura, nua, crua...
Sou dos versos todos
Rascunhados em papel de pão.
Das faltas deles, também.
Sou das estrofes,
Das rimas, às vezes.
Escrevo como forma de me encontrar.
De beijar minh’alma.
De espantar a solidão.
Escrevo por necessidade do corpo, da mente.
E d’alma também.
Uma necessidade que me consome
E me faz deslizar as letras
Tão rapidamente no papel!
Através das palavras
Sou gente, sou fada.
Sou anjo com asas enormes
E auréola acima da cabeça.
Mas também um pequenino demônio
Com seu tridente afiado.
Pronto para espetar o bumbum alheio
Daqueles que me perturbam.
Sou fada com musseline cor de rosa
E todo o glitter a que tenho direito.
Fecho meus olhos
E o que sinto são perfumes e paz.
Uma paz que não tem nome, mas alma.
A minha!
Sou feliz comigo mesma
E muito mais com a caneta preta nas mãos.
Ou a vermelha, também.
Odeio escrever com tinta azul.
Não sei por quê.
Mas o azul me entristece.
Gosto da cor preta.
Ela me inspira mistério.
Já a vermelha...
Todo o excitar do mundo.
Dos sorrisos, das falas.
Gosto do lilás, em tempos alguns.
Quando minh’alma transcende
De todo sentimento bom.
De tanto amor dentro de si.
Sou poesia, sou prosa, algumas crônicas.
Contudo, sorrio bem mais
Quando as palavras se encaixam
Linha embaixo de linha.
Com rima e comédia.
Sem ela, mas com uma excitação louca!
Com todas as vírgulas, reticências...
Que tanto tem meu viver.
Escrevo por amar fazê-lo.
E talvez seja por isso
Que tudo saia tão bom!
Tão gostoso nos encontrarmos nos textos.
Um pouco meus.
Um pouco de quem me lê.
E de quem os sentem
Dentro das mais sutis fibras d’alma.
Isso sim deve ser dom!...

2 comentários:

  1. Voce !Uma alma que se revela atraves das palavras!!!Amei!
    Meire Morales

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amo me revelar pelas palavras... Minha amiga linda... Você sempre me mimando...

      Excluir