um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Vôo...



Abro minhas asas
Mesmo querendo mantê-las
Quietas e quentinhas
Ao ouvir o cricrilar do grilo, ao longe.
E ao abri-las
Acabo por sentir o vento
Movendo cada fibra de vôo...
Um vento forte, revolto...
Chega bravo, como que querendo dizer-me:
“ – Voe! Vamos!”
E então, assim, meio que com sono,
Ergo os braços, sacudo-me toda
Inspiro um pouco de vento
Como forma de combustível
E vou-me embora!
Subo alto, saio do chão
Com tão rápida facilidade
Que até eu me assusto.
Não imaginara possuir
Tão forte alçar de vôo...
Não imaginara sentir no rosto
O poder da liberdade.
Uma sensação de bem-estar toma conta.
E,aos poucos, o medo de cair
Torna-se mero coadjuvante.
Em meio a tantos tombos,
Tantos ralados e sangramentos,
Mais uma queda seria como brincadeira.
Coisa de criança.
Que chora feito doida
Ao escorregar da escada, na escola.
Mas que, depois do curativo,
Corre de encontro ao melhor amigo, dizendo:
“ – Olha! Ganhei um curativo! Veja!”
E sai toda feliz, saltitando, até a próxima queda.
Lá em cima tudo é tão pequeno!
Vejo casas e árvores
Pássaros e cachorros a compor a paisagem.
Uma harmonia e tanto
Que, em terra firme,
Transforma-se no caos da humanidade.
Contudo, embora seja delicioso
Abrir as asas longe dos problemas
É chegada a hora de voltar ao chão.
Para que aprendamos novas técnicas
De manutenção e inspiração a vôos
Cada vez mais altos e duradouros.
Para que consigamos buscar o equilíbrio necessário
Rumo a planações menos densas e sequeladas.
Para que sejamos capazes
De olhar o pôr do sol
Lá de cima, sem que precisemos nos proteger,
Sem que soframos danos severos
À pele e à alma,
Caso queiramos permanecer
Mais e mais lá em cima, só na observação.
Quisera o homem 
Possuir esse dom...

Nenhum comentário:

Postar um comentário