um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

domingo, 18 de maio de 2014

Mais perto!...



Ah! Se estivesse aqui, tão mais perto!...
Dentro da boca, na língua, salivando...
Dentro do peito, despido, sem jeito, daquele jeito!...
Ah! Se estivesse por perto, menos distante,
Talvez lhe raptasse umas horas!
Um sequestro relâmpago todo cheio de malícia.
Com carícia e encantamento,
Safadeza e delicadeza na ponta dos dedos.
Assim, sem pressa.
Porque quem tem pressa é gente.
E na cama, sou bicho.
Gosto de cheirar bem devagar.
Lamber a pele, ouriçar as sensações.
Aquelas anteninhas todas escondidas debaixo da camisa branca.
E por falar em vestir-se bem, saiba você
Que não há nada mais sensual do que camisa branca.
De alfaiataria, toda alinhada.
No colarinho, uma gravata ou um broche.
Depende de quem a veste.
Posso ser eu, pode ser você!
E também de quem a despe...
Devagar, para impregnar o perfume.
Numa rapidez tamanha, tamanha a ferocidade da causa.
Gosto de causar arrepios.
Gosto de dedos me buscando.
De lábios em minha nuca, sussurrando.
De aproximações mais vorazes.
De apertamentos mais audazes.
E de licores docinhos na taça, para bebericar.
Suave como o vento, debaixo dos lençóis sou outra.
Sou a que te perturba e ereta.
A que lhe faz perder o juízo e morrer em meio ao êxtase.
A que foge, para ser procurada.
A que se deixa jogar, de quatro, na cama macia.
Mas, lembre-se bem, meu bem:
Não sou em hipótese alguma a que saltita no muro.
Uma boa cama macia e perfumada é quesito primordial.
É isso, ou nada feito!
E de feitos, posso dizer que estou bem, obrigada!
Basta apenas que apareça, vez ou outra.
Com o intuito de bebericar minha saliva em meio ao seu sabor.
Sou docinha, por dentro e por fora.
E agora, cadê você, hein?
Só demora, Deus!
Assim, eu morro solitária, debaixo do cobertor
Nessa manhã gelada de segunda-feira...

Nenhum comentário:

Postar um comentário