um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

domingo, 11 de maio de 2014

Quase Anjo...



Ela é pequenina, sapeca e gigante.
Tudo ao mesmo tempo.
É enorme, quase do tamanho do mundo.
Porque sua fé lhe faz ser assim.
Carrega no peito sonhos adormecidos.
Deixou-os adormecer com as pelejas da vida.
Mas carrega nos olhos aquele brilho de estar cumprindo sua missão.
Carrega todos no colo, na alma, debaixo das asas.
E também deixa-nos voar de asas bem abertas.
Para que aprendamos a voar sozinhos.
Afinal, sabe que a vida é passageira.
E que somos todos viajantes em busca de aprendizado.
Tem sorriso cativo, alma de dar inveja.
Contudo, tem tanta luz a ofertar...
Que a inveja também acaba sua fã.
Brinca, saltita e sorri feito criança.
Aquela criança grande, amadurecida pelas dificuldades.
Quando criança de verdade, pouco teve coisas a ostentar.
Na verdade, roupa de escola e roupa de missa.
Numa casa de chão batido e lamparina a querosene,
Viu sua infância se transformar em vida adulta, num piscar de olhos.
E a vida adulta, de início, também não foi fácil.
Mas, hoje é tudo lembrança.
Sabe que cada cabelo branco, cada ruga guarda um momento vivido.
É dona de uma paz contagiante.
Aprendeu a adquiri-la aos poucos.
E hoje não a troca por nada, absolutamente.
Menina doce com a alma sempre infanto-juvenil,
Ela é bamba, é samba, ballet e bossa-nova.
A gente ama ouvir a voz, por ela fazer bem aos ouvidos.
Por vezes aconselha, noutras puxa a orelha daquele jeito!
Sem dó em dizer a verdade.
A fim de mostrar a besteira que está sendo feita.
Todavia, não é sempre.
Não é daquela dos bolinhos de chuva, do bolo de cenoura.
Ama virar a madrugada entre alfinetes, agulhas e o som do rádio, baixinho...
Gosta de companhia.
Porém, sua solidão não lhe faz mal algum.
Aprendeu que nem sempre a solidão dói como falam.
É pequena, grande, suave e ácida.
Basta apenas que dosem sua flexibilidade.
Menina, mulher, mãe e esposa.
Vai para o céu sem escala, quando deixar o corpo físico.
Tomara que isso demore uns bocados de milênios.
Seu nome é dos menos conhecidos.
Então, chama-la por mãe se tornou algo doce...
Rendo-me aos seus encantos.
E versejo sua doçura.
Porque essa é uma das maneiras
De dizer aos quatro ventos do mundo
O quão especial é tê-la ao lado, sempre!...


2 comentários:

  1. Como descreveu sua mamãe tão lindo amei ela é tudo!
    Ela é completa!
    Feliz dia das filhas com sua mamãe anjinha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho, Lalinha!!! Saudades!!!
      Feliz dia das mães!!!

      Excluir