um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

sábado, 13 de julho de 2013

Sexo e Amor



Quisera o homem um dia compreender
A diferença gigante entre fazer sexo e amor.
As pessoas confundem, fundem-se
E depois vão embora.
Tomam um banho qualquer
E adormecem em qualquer cama.
Simples assim.
Como gatos no telhado do vizinho.
Num lema fora da lei.
Ronronam suas fibriças
Em qualquer arranhador vagabundo.
E se acham “os tais”
Com chiclete de menta mascado na boca
E odor de cerveja gelada.
Gostam de apalpar umas nádegas aqui,
Uns pênis ali..
E quando mal se espera
Lá estão em movimentos de excitação.
Transam feito bichos
E nem querem saber
Se uma procriação surgir, às avessas.
Quem cedeu que o embale!
É essa a melhor das respostas.
Mas, melhor para quem?
Há uma significativa diferenciação
Em “deixar rolar” e “enrolar-se”.
O “deixar rolar” por vezes enrola,
Num cola e descola
De última hora.
A pele sua, o cabelo desgrenha...
E quando se vê, já foi.
Se rolar de novo, pois bem.
Se não, sem crise.
É o que dizem por aí, depois de umas e outras.
Já o “enrolar-se” vai além do lençol sujo.
Do insulto do momento.
Do arrebato insano.
Vai mais longe.
Muito mais.
É banho tomado antes, a dois.
É não ter pressa para acabar.
Nem para acontecer.
É cabelo escovado, depois.
Conversa nos braços...
Aquela prosa maneira, mesmo.
Falar dos medos, anseios.
Sem receios de ridicularizar-se.
É curtir o barulho da chuva
Dando graças, bem baixinho...
É não querer ir embora.
E quando for, contar os minutos para voltar.
É preencher a alma com flores
Ao invés de esvaziar o corpo.
É sentir com as pontinhas dos dedos.
Assim, sem pressa.
É sonhar bem juntinho, baixinho...
Para só a alma ouvir.
Pudera o homem compreender a sutil diferença
Entre fornecer o sexo
E entregar a alma.
Talvez assim não houvesse tantos “filhos do nada” por aí.
Talvez houvessem quereres recíprocos.
E mais, singelamente compartilhados.
Pudera...


2 comentários:

  1. A alma e que precisa ser tocada sempre,e nao somente se entregar aos prazeres da carne!!!Quando o ser humano vai enxergar que enquanto nao conseguimos preencher a alma o vazio sempre vai existir!!
    Adorei minha amiga!!!
    Meire Morales.

    ResponderExcluir