um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

sábado, 27 de julho de 2013

Pequenina



Fez-me menina,
Toda pequenina,
Quase um pingo de gente.
E hoje sou quase do tamanho do mundo.
Sou do tamanho dos sonhos,
E quase gigante fico eu.
Dizem que sonhar é de graça.
Então pirulito-me à cama...
Ainda mais em dias de gelar o bumbum.
Cubro as orelhas, semicerro os olhos,
Com desejo de volitar.
Gosto dessa sensação.
De brincar com a idade,
De sorrir com vontade,
De enfeitar os cabelos.
De fazer maria-chiquinha num domingo de manhã.
E de pôr meias nos pés em dias de frio d’alma.
Gosto de brincar com o cachorro,
De bagunçar o miolo,
De nem esquentar o pote.
De sorrir adormecida.
De postar as mãos, vez ou outra.
De ouvir música, religiosamente.
E como faço disso uma religião!
Une-me ao etéreo
Num estéreo quase acústico.
Provoca-me pensamentos,
E me molda os quereres.
Fez-me menina,
Toda pequenina,
E hoje estou enorme.
De coração e tamanho.
Não ligo para a forma do corpo.
Dou muito mais valor à forma da alma.
Gosto disso.
Gosto de pés para cima
E meias pueris.
Cheias de encanto ao olhar.
Gosto de sorrir quando der na telha.
E de não sorrir, também.
E ainda mais de arco-íris.
Todo colorido, numa gradativa
Capaz de fazer crer em duendes e fadas,
Sem nem inalar ou ingerir droga alguma.
Sou do tamanho do mundo.
Do tamanho do meu mundo!
Nele, pinto flores azuis de cabos alaranjados.
E desenho sóis com palito de sorvete.
Sorvo seus sabores na ponta da língua
E construo castelos,
Todos feitos de felicidade.
Minha casa não é grande.
De grande já chega eu!
Eu e minha paz atual.
Aprendi a ser paz.
Independente do grande mundo em que vivo.
E é bom demais tudo isso!
Fez-me menina.
Pequenina.
Contudo deu-me todas as ferramentas
Para construir sonhos.
E ainda agora, com quase trinta...
Gosto de serelepar, feito a criança que um dia fui.
E só posso dizer uma coisa, mãe minha...
Obrigada por isso.
Por tudo isso!

Um comentário:

  1. q lindo...uma declaração de amor um agradecimento parabens anjinha lindo texto!

    ResponderExcluir