um pouco mais sobre mim...

Minha foto
Casada, escritora, com a alma rodeada de perguntas... Amo meu marido, minha família e meus animais de estimação. Sou um pouco ansiosa, gosto de tudo o que faz bem. Amo escrever... Isso faz de mim elo com os sentimentos que me consomem e que vagam por entre as pessoas. Sou uma pessoa extremamente intuitiva, que adora ouvir música (extremamente seletiva quanto a isso), que ama escrever, que faz do amor sua fonte de energia vital... Sempre!

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Perturbação



Entreguei a ti meu coração.
E fizeste pano de chão de todo sentimento nele contido.
caminhou comigo alguns quarteirões.
E  em um  momento qualquer, deste de ombros.
Seguiste teu caminho torto.
E eu, mais torta ainda pela desilusão, busquei seguir o meu.
Mas, pergunto-me até hoje o porquê de tanta importância,
Com alguém que nunca se importou? 
Não te importara nem um segundo.
Fui apenas outra flor de teu jardim.
A desabrochar regada por teu néctar. 
Algo sem explicação ou entendimento momentâneo.
Mas, que me perseguiu tanto tempo!
Foste para longe.
E como espiã, deixei.
Se és feliz, não sei.
O que sei é que ainda tento encontrar respostas.
Coisas que jamais virão embrulhadas em papel Kraft.
E endereçadas à minha porta.
Por, simplesmente, não saber mais nada ao meu respeito.
Preferi que, já que foste, foste e ponto!
Contudo, perturbas minhas noites gélidas de solidão depressiva...
Perturbas meu sono, meus sonhos.
E também meus pensamentos tortos, no meio do dia.
Cobras-me uma falsa felicidade de meus olhos,
Quando ecoas ao mundo uma total felicitação d'alma.
Não sei em que acreditar.
Não quero, no fundo, quebrar a cabeça com isso.
Já me feri noites e noites, tentando decifrar tuas incógnitas.
E me cansei.
De uma tal maneira a querer reclusar-me.
Hoje, minha casa é meu refúgio.
E as lembranças, pequeninos meio-sorrisos a brotar no canto dos lábios, vez ou outra.
Já as gigantescas perguntas a serem respondidas?
Essas vão se formulando e desfazendo-se.
Como casinhas de massinha de modelar,
Moldadas à revelia, à rebeldia dos meus humores.
Guardadas tão somente para momentos de perturbação d'alma, como agora...

Nenhum comentário:

Postar um comentário